segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mil coisas...pra começar a semana...


Latas comemorativas da Coca-Cola

As latinhas aí em cima foram feitas pelo artista plástico britânico James Jarvis para comemorar os 125 anos da Coca-Cola. É uma edição especial cuja proposta inicial era dar a volta ao mundo. Mas não ficou claro se as latinhas estarão no Brasil este ano. Por enquanto elas circulam apenas por Hong Kong. Jarvis é um toy designer pioneiro na criação de brinquedos em vinil.

Pepsi com mais pressão...

A PepsiCo está criando um Centro de Excelência para adotar uma postura global unificada no que se refere às suas mesas de compras da área de mídia e marketing. A coisa ainda está na troca de memorandos mas, convenhamos, deverá funcionar bem somente quando não envolver grandes emissoras de TV no pacote. No ano passado, a PepsiCo e a Anheuser-Busch InBev – indústrias que juntas gastam mais de US$ 1,15 bilhões na mídia dos EUA - se uniram em um esforço para negociação conjunta com empresas de mídia.

O objetivo do pacto era economizar uns “caraminguás” para a compra de computadores, viagens e material de escritório. Mas a PepsiCo e Inbev expandiram o acordo para procurar oportunidades em TVs, mídia impressa e outdoor, fazendo propostas a empresas como a Conde Nast, da Time Warner Time Inc., NBC Universal e Time Warner Turner. É mais uma tentativa de um anunciante em exercer pressão aos veículos.

O boi falou...eu juro!

Mais de duas mil pessoas participaram da Festa do Boi Falô, na Sexta-Feira Santa, no distrito de Barão Geraldo, em Campinas (SP). O encontro é tradição na cidade e há 16 anos faz parte do calendário oficial. Começa às 8 horas e termina às 14 horas na Praça Manoel Siqueira, reunindo famílias inteiras, jovens e idosos.

Ao meio-dia, voluntários servem gratuitamente um prato com macarronada com sardinha, distribuem refrigerantes e uma camiseta alusiva à data. Os produtos são doados por empresários da cidade. Em um palco improvisado se apresentam grupos de dança folclórica, conjuntos de música sertaneja e fanfarra.

Segundo a lenda, a história do Boi Falô aconteceu em 1888. Dizem que o escravo Toninho, da fazenda do barão Geraldo de Rezende, foi atrelar um boi naquela Sexta-Feira Santa. Mas o boi estava deitado à sombra de uma árvore e surpreendeu o escravo dizendo: "Hoje é dia santo, é dia do Senhor, não é dia de trabalhar". E o escravo Toninho saiu correndo e gritando: "O boi falô, o boi falô (sic)". Não se sabe o que o escravo Toninho bebeu ou fumou antes do episódio...

A lei antifumo: aqui como lá...

Na Bélgica, a lei antifumo continua provocando protestos de donos de bares e cafés. A legislação, que entra em vigor em 1º de julho, proíbe o consumo de cigarro (e similares) em todos os estabelecimentos que servem alimentos e bebidas. No fim de semana, centenas de proprietários foram às ruas de Bruxelas e jogaram latas, garrafas e maços de cigarros nas ruas.

2 comentários:

  1. Fernando de Jesus26 de abril de 2011 01:53

    Só quero deixar registrado que sempre visito seu blog. Abraço,Fernando

    ResponderExcluir
  2. E vc não imagina o quanto isso me deixa feliz. Saber que algumas pessoas entram aqui é muito legal. Se puder me informar de qual cidade vc fala...Grande abraço, Claudio

    ResponderExcluir