quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O ovo de Colombo e a surra no McDonald's



O ovo de Colombo do terceiro milênio

Essa ideia ecológica foi enviada pelo empresário de música, surfista e jornalista Marco Aurélio Ramidan – e Top Five na lista dos meus amigos. É muito simples. Pena que a gente não tenha pensado nisso antes. Sabe aquele saquinho de amendoim, biscoito – ou de qualquer outro salgadinho - que a gente nunca consome até o final? Aí o que a gente faz? Guarda num zip, passa um durex (atenção lusófonos: “durex” no Brasil é fita adesiva, tá? – e não preservativo) ou então um pregador de roupa (método adotado lá em casa).

Para tornar o saquinho absolutamente hermético corte a parte superior de uma garrafa PET com uma tesoura – mantendo o gargalo e a tampinha. Isso feito, insira o saco plástico no gargalo (sem duplo sentido!) e feche com a tampinha em seguida. Pronto. Você já tinha pensado nisso? Simples, né? E como diz o Ramidan: O meio ambiente agradece.




Pegaram pesado nesta campanha

O grupo Physicians Committee for Responsible Medicine (PSA) ou Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável, dos EUA, pegou pesado nesta campanha educativa para evitar problemas de saúde como pressão alta e obesidade. Além do tema pra lá de deprimente, o filme faz uma piada com o slogan “I’m lovin’ it” do McDonald’s. A rede de fast food reagiu e afirma que a campanha é ultrajante e enganosa. Antes que tirem o comercial de circulação, o Blog do Refri capturou o filme. Nunca se sabe...

video


No Twitter: @BlogdoRefri

7 comentários:

  1. Sensacionais! Ambos! O filme, trágico!, vai me manter longe do Ronald por mto tempo. E a dica pra fechar os sacos plásticos tb é show! Blog do Refri pra presidente!!!

    ResponderExcluir
  2. Putz!!!
    Agora vou lembrar desse filme toda vez que entrar no McDonald's.

    ResponderExcluir
  3. hahaha
    Selma, parece uma bobagem mas fiquei encantado com a simplicidade da coisa. Ontem mesmo em casa, cortei o pet de Mineirinho e guardei os amendoins. Fica lacradinho!
    Thales, o filme é mesmo muito forte. E corre o risco de nem ir ao ar lá nos Estados Unidos. Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  4. Vedação do Saquinho:
    Ótima idéia, se vc patentear, pode fica milionário !
    Comercial McD:
    Nada contra, mas é custo da fama, né ( que fama, Amo muito isto!!!!)
    Pessoal, vocês ja foram em algum fast foods e só ficaram observando o que as pessoas comem, como comem e como são fisicamente ?
    Deprimente.....por isto que mais de 50% populaçao brasileira esta obesa...
    Marco

    ResponderExcluir
  5. Faço parte do grupo dos magrelos mas acho que todos têm o direito de meter o pé na jaca - de vez em quando, que fique claro.
    Esse negócio de observar as pessoas comendo é impressionante. Certa vez vi um vídeo com estas imagens cotidianas de pessoas almoçando mas a trilha era de animais (galinhas cacarejando, porcos grunhindo e outros ruídos). Ser humano comendo é bizarro...

    ResponderExcluir
  6. Ola Claudio, deixo aqui meu comentário e desculpa se gerei algum preconceito....ja fui gordo tb.
    Não tenho nada contra,fast foods ou pessoas obesas mas sou critico quanto ao fato de que pessoas com informação, e capacidade de escolher comida saudável continua indo neste local
    Pessoal assistam o Super Sizer Man, documentário de um cara que tentou ficar um mes so comendo no McD....é neste ponto que queria chegar
    Verdade choca, mas as vezes mas tem que ser dita
    Abraços!!!!
    a
    Marco

    ResponderExcluir
  7. Perfeito Marco,
    o Super Size Me alcançou seus objetivos assim como Michael Moore com suas críticas ácidas a George Bush. O "radicalismo" (entre aspas mesmo) tem sua função de alerta. Foi o que faltou ao Serra para virar o processo eleitoral do país e que acabou preenchido pelo Plínio. O problema é aquela imagem do corpo...Nossa! Gelado na mesa - pra mim - só cerveja! Certa vez, como repórter fiquei na situação do filme (é claro que eu estava de pé). Foi tão inesquecível quanto desagradável. Grande abraço

    ResponderExcluir